sábado, 16 de junho de 2018

Salada Mista

Salada Mista

Izaias Resplandes de Sousa

Ingredientes para a salada: 1 colher de chá de alho triturado; 1 manga picada; 2 cenouras raladas; 2 rodelas de abacaxi picado; 3 palmitos em rodelas; 5 xícaras de chá de acelga picada. Ingredientes para o molho: 1 laranja em cubos; 1 pote de iogurte; 1 colher de sopa de hortelã fresca picada; 1/2 colher de sopa de sal marinho; 2 colheres de sopa de passas. Modo de Preparo: Misture bem todos os ingredientes do molho. Reserve. Arrume, em uma saladeira, a acelga, o alho, a cenoura, o palmito, a manga e o abacaxi. Misture bem, acrescente o molho e sirva em seguida. Bom apetite.
Muitos de nós gostamos de uma salada mista em nossas refeições. Segundo os nutricionistas, é muito bom nós comermos saladas. Mas é possível que a refeição seja uma das raras exceções à regra, porque, nas diversas situações em geral, as saladas só costumam acarretar problemas. Nessa reflexão, pretendemos mostrar o que a Palavra de Deus nos diz sobre as misturas de um modo geral e sobre as misturas religiosas, de um modo particular. Vejamos…
Quando Deus criou os animais, Ele os fez em casais, macho e fêmea o fez. Mas em relação ao ser humano, inicialmente, Ele criou apenas o homem, Adão. Todavia, de imediato concluiu que não estava bom dessa maneira. “E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele”. Gênesis 2:18. E de lá para cá essa orientação tem sido praticada.
Desde o princípio até os dias atuais, a orientação que a Palavra de Deus dá ao homem é para que ele busque a companhia de uma mulher. Assim diz o texto sagrado: “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne”. Efésios 5:31.
A união do casal é a base de sustentação da efetivação e solidificação do casamento. E, considerando que ninguém casa para descasar, faz-se necessário que os nubentes aparem todas as arestas que existir entre eles, antes que digam o sim decisivo. Em que pese observarmos certa banalização do casamento, quando os nubentes decidem fazer testes de convivência com base no “se não certo, divorciamos”, essa não é a orientação mais adequada ao caso.
A vida é muito curta para ficarmos perdendo tempo testando possibilidades. Nossas escolhas, ainda que possam não ser as mais adequadas, devem merecer de nossa parte o máximo de empenho e esforço para que se tornem realidade.
Eu defendo a tese bíblica de que tudo o que Deus fez é bom. Fundamento na própria avaliação divina. “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto”. Gênesis 1:31.
O pecado do homem diante de Deus trouxe consequências para toda a criação, mas em que pese as modificações, a essência do plano divino permanece inatacável. E dia virá em que tudo voltará a ser como era antes do homem pecar. É assim a Palavra: “Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. Romanos 8:22.
Um plano bom merece ser aprovado. Devemos nos empenhar para colocarmos o plano de Deus em prática, conforme o mesmo está traçado em sua santa Palavra. Nós podemos até decidir de outra forma, entendendo que nossos planos são melhores que os planos de Deus, mas não são. É o Senhor que diz não ser assim: Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Isaías 55:8. Os Salmos também afirmam: O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade. Salmos 94:11. E também os provérbios:Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte. Provérbios 16:25.
A orientação bíblica é que o homem busque unir-se com uma mulher. Que se entendam. Que caminhem na mesma direção e sentido. Que tenham a mais perfeita comunhão. Assim diz o Pregador:
Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e, contudo, não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.Eclesiastes 4:8-12.
Todos nós precisamos trabalhar para sobrevivermos. No entanto, às vezes pode ocorrer de alguém da família ficar desempregado. E ocorrendo isso, os demais membros da casa assumirão as responsabilidades até que a situação seja normalizada. Já a pessoa que vive sozinha, obrigatoriamente precisa trabalhar. E nem pode se dar ao luxo de escolher o seu trabalho, porque depende dele e somente dele para a sobrevivência de todo dia. Para o sozinho não há folga, a não ser que queira passar privações. Esse é um dos motivos porque devemos nos unir com outras pessoas, como ocorre no casamento, por exemplo.
Nós trabalhamos para nossa família, onde somos uns pelos outros. Mas e aquele que vive sozinho, para quem ele trabalha? Quem ficará com os resultados de seus trabalhos quando ele morrer? É muito ruim a gente saber que poderá morrer a qualquer hora e que não teremos alguém ao nosso lado. Quantos casos a gente ouve falar de pessoas que morreram sozinhas e somente foram encontradas quando já estavam apodrecendo e fedendo? É muito importante que a gente tenha alguém que esteja junto conosco no curso da vida, com quem nós possamos dividir nossas alegrias, tristezas, prazeres e dissabores.
Há um provérbio popular que diz: “A união faz a força!”. Bem, isso é verdade! Podemos quebrar um palito, mas não conseguiremos quebrar facilmente e de uma vez, toda uma caixa de palitos. É por isso que o inimigo, quando quer nos derrotar, procura nos dividir e nos atacar isoladamente. Jesus disse que nenhuma casa dividida subsistirá. Vejamos…
Trouxeram-lhe [a Jesus], então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via. E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios. Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino? E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes. Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus. Ou, como pode alguém entrar na casa do homem valente, e furtar os seus bens, se primeiro não maniatar o valente, saqueando então a sua casa? Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. Mateus 12:22-30.
Sozinhos e isolados, nós somos fracos. Juntos, somos fortes! Ainda que, às vezes, sentimos grande necessidade de ficarmos sozinhos, devemos atender essa necessidade com muita cautela. Aqueles que se sentem fortes, normalmente afrontam os seus adversários, mas aqueles que se sentem mais fracos armam arapucas para pegar os seus inimigos. Tenhamos cuidado para não cairmos nas arapucas. Evitemos ficar sozinhos. Busquemos a companhia daqueles que se escondem na sombra do Onipotente, conforme diz os Salmos 91 e não caiamos nos laços do passarinheiro.
Quantos cristãos preferem a companhia dos não cristãos, ao invés de seus iguais! Meus queridos! Devemos dar preferência aos irmãos. Se vamos comprar, que a preferência seja para os comércios da irmandade; se nós vamos vender, que primeiro ofereçamos aos irmãos. É preferível pagar mais caro por um produto, mas termos a certeza de que amanhã ou depois nós não seremos enredados em algum processo. O mesmo se pode dizer quanto a ganhar menos.
A mistura com os desiguais não é salutar. Imaginemos um casal. Dia de reunião na igreja, um vai para um rumo e outro para outro rumo. Isso não é casamento. Isso é desunião. E os filhos, seguirão o pai ou a mãe? É bem provável que a nenhum dos dois.
Devemos decidir de pronto o que nós queremos. Não vejo problemas em duas pessoas de orientações diferentes se casarem. Mas, para que sejam felizes e vivam bem é preciso que caminhem na mesma direção.
Quando dois jovens têm orientação espiritual diferenciada, é na fase do namoro que devem procurar se entender e não depois de casados. Após o casamento, os dois serão uma só carne, um só corpo e devem ter uma só cabeça. Assim diz a Bíblia:
Quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo. 1 Coríntios 11:3.
Cabe ao homem a missão de conduzir o corpo após o casamento. Nesse sentido, é antes do casamento que a mulher deve conhecer a orientação que seguirá ao lado de seu marido. Se conhecer e não aprovar, então devem desistir do casamento antes que o mal aconteça, porque divididos não subsistirão.
É preciso que a gente decida o que se quer de uma vez por todas. A vida exige escolhas e decisões devem ser tomadas na hora certa, para não se arrepender depois.
É costume ouvir as pessoas dizendo que tudo o que fala de Deus é coisa boa. Isso não é verdade. Satanás citou a Palavra de Deus quando tentou a Jesus. E ele é o mal. O que torna uma palavra boa ou não é aquele que a pronuncia. Devemos conhecer a vida de quem fala, para ver se tal pessoa vive o que fala ou se é apenas uma faladora que não pratica o que diz.
A vida não é fácil, porque vivemos em um mundo com muitas orientações e temos de decidir o que vamos seguir. Mas precisamos escolher. Diz a Bíblia: Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna. Mateus 5:37.
Quem vive com um pé na estrada e outro fora dela, uma hora ou outra vai se dar mal. Devemos fazer nossas escolhas. Isso não quer dizer que não devemos compartilhar as coisas com pessoas de orientações diferentes. Podemos. Mas, sempre na condição de superior e não como inferior.
A convivência social é muito importante, mas somente será salutar para aquele que for o orientador. Se você tem uma orientação pela Palavra e vai trabalhar com alguém que não tem a mesma orientação, vai acabar se perdendo na prática de atos contrários à sua própria orientação. Se você é patrão, você pode ter pessoas sem a sua orientação religiosa trabalhando com você. Se elas concordam em trabalhar, está tudo bem. Agora, o contrário não é verdadeiro. Assim diz a Palavra:
Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor;E não toqueis nada imundo,E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai,E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso. 2 Coríntios 6:14-18.
A mesma orientação vale para qualquer situação, onde os dois que pretendem se unir, não buscam se unir plenamente, antes da união.
É de destacar ainda sobre a importância de não misturar o espiritual com o material, principalmente quando não houver a faculdade da opção de escolha. Exemplifico.
Em uma associação há pessoas de diferentes orientações espirituais. Nesse sentido, a referida associação deve evitar o envolvimento com as atividades de caráter religioso, ou então liberar os seus membros das obrigações a esse respeito. Se não houver essa possibilidade, então não há a possibilidade da convivência nessa sociedade. As entidades de caráter não religioso devem orientar-se nesse sentido.
O fato de alguém não participar de atividades de caráter religioso não significa que tal pessoa esteja condenando tais atividades, mas sim, que não deseja participar delas. E isso deve ser respeitado, sob pena de se minar a convivência entre essas pessoas.
Ao concluir, queremos dizer que a mistura somente é salutar na salada mista de nossas refeições. Nas demais questões é importante que nos guiemos pela pureza de nossos relacionamentos, sob pena de vivermos em conflitos eternos. Devemos buscar a paz e o entendimento e não o litígio e a guerra.
Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Hebreus 12:14.
Deus nos abençoe!

sexta-feira, 8 de junho de 2018


O filho distante de Poxoréu


Izaias Resplandes

Olá, Poxoréu! Faz tempo que quero conversar com você.
Precisamos colocar os pingos nos is e voltar a nos entender.
Afinal, eu nasci aqui, embora tenha passado a vida distante.
E eu sei que você lamenta muito e até tenta compreender
Porque é que fui embora, te deixando e te fazendo sofrer...
E porque me envolvi com outras e delas me tornei amante.

Sabe, Poxoréu, eu percorri o mundo atrás de oportunidade.
Eu queria ser alguém de valor, com meu talento reconhecido.
Eu queria aparecer e ver meu nome inscrito no rol da fama.
E assim eu andei e viajei, vagando de cidade em cidade.
E conheci lugares lindos, aventurando pelo céu desconhecido.
Às vezes dormi em casas, noutras vezes a relva foi minha cama.

E enquanto eu vagava pelo mundo, eu sempre pensava em ti.
Lembrava dos morros, dos riachos, das cabeceiras e cachoeiras.
Via o Morro da Mesa, lindo naquela foto de nosso cartão postal,
Os domingos à beira da Lagoa, encantos que eu nunca esqueci.
Me imaginava nas Cachoeiras do Lucas, minhas delícias primeiras
E também nas nossas águas termais do Damasceno e do Buritizal.

Fui várias vezes na cidade de Brasília, a Capital Federal do Brasil.
Estive no Congresso Nacional, na Câmara e no Senado da República.
Vi Louremberg  Nunes Rocha, que fora deputado e também Senador,
Ubiratan Spinelli e Bento de Souza Porto, teus filhos, entre outros mil,
Destacada liderança mato-grossense, de nobre caráter e de fé pública,
Honrando a sua bandeira e com vozes altaneiras, a lutarem com fervor.

No Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, famosa morena capital,
Encontrei Aurélio Miranda, destaque no rádio e na televisão brasileira,
O teu poeta cancioneiro, autor e compositor de “Minha Doce Poxoréu”,
A música que os teus filhos cantam como se fosse o seu Hino Oficial,
Membro da União Poxorense de Escritores, criação de gente violeira,
Que tanto tem feito e lutado, em defesa da arte e da cultura deste céu.

Em Cuiabá, Capital de nosso Estado, era como se em casa estivesse,
Tantos os teus filhos que ali brilhavam, nas mais diversas posições...
No Tribunal de Justiça, Juvenal Pereira da Silva e Onésino N. Rocha
São juízes pilares que te fazem ser notória e tua história engrandece.
E os demais, tantos são, decidiram se unir para em diversas situações,
Assegurar que venham a ti o calor de suas lutas como uma forte tocha.

E então é isso, Poxoréu. Sou esse teu filho distante, que um dia partiu,
Para encontrar-se com aquilo que seria o seu futuro e o seu destino;
Para se fortalecer e te servir com mais força, coragem e determinação.
Eu fui, mas eu sempre voltei, porque o meu coração daqui nunca saiu.
Eu me tornei muito conhecido, mas jamais deixei de ser o seu menino,
Que sempre te amou e sempre estará aqui, cantando, em tua exaltação.

domingo, 3 de junho de 2018

O poder da palavra

O poder da palavra

Izaias Resplandes de Sousa

A palavra é um elemento de poder. Tanto pode construir, como destruir. Através de sua Palavra, Deus criou o mundo e praticamente tudo o que nele existe. Há registros bíblicos sobre esse poder e sobre as possibilidades de controlá-lo em nosso benefício e até mesmo de como utilizá-lo contra outras pessoas. É importante que conheçamos e dominemos essas técnicas de controle para que esse poder seja utilizado positivamente em prol do nosso desenvolvimento e progresso na longa jornada pela vida.
Dentre as diversas narrativas sobre as atuações do profeta Eliseu, a história da sunamita é um grande exemplo de alguém que acreditou profundamente no poder da palavra proferida. 
Vejamos...
Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher importante, a qual o reteve para comer pão; e sucedeu que todas as vezes que passava por ali entrava para comer pão. E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus. Façamos-lhe, pois, um pequeno quarto junto ao muro, e ali lhe ponhamos uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; e há de ser que, vindo ele a nós, para ali se recolherá. E sucedeu que um dia ele chegou ali, e recolheu-se àquele quarto, e se deitou. Então disse ao seu servo Geazi: Chama esta sunamita. E chamando-a ele, ela se pôs diante dele. Porque ele tinha falado a Geazi: Dize-lhe: Eis que tu nos tens tratado com todo o desvelo; que se há de fazer por ti? Haverá alguma coisa de que se fale por ti ao rei, ou ao capitão do exército? E disse ela: Eu habito no meio do meu povo. Então disse ele: Que se há de fazer por ela? E Geazi disse: Ora ela não tem filho, e seu marido é velho. Por isso disse ele: Chama-a. E, chamando-a ele, ela se pôs à porta.E ele disse: A este tempo determinado, segundo o tempo da vida, abraçarás um filho. E disse ela: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva. E concebeu a mulher, e deu à luz um filho, no tempo determinado, no ano seguinte, segundo Eliseu lhe dissera. E, crescendo o filho, sucedeu que um dia saiu para ter com seu pai, que estava com os segadores, E disse a seu pai: Ai, a minha cabeça! Ai, a minha cabeça! Então disse a um moço: Leva-o à sua mãe. E ele o tomou, e o levou à sua mãe; e esteve sobre os seus joelhos até ao meio-dia, e morreu. E subiu ela, e o deitou sobre a cama do homem de Deus; e fechou a porta, e saiu. E chamou a seu marido, e disse: Manda-me já um dos moços, e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus, e volte. E disse ele: Por que vais a ele hoje? Não é lua nova nem sábado. E ela disse: Tudo vai bem. Então albardou a jumenta, e disse ao seu servo: Guia e anda, e não te detenhas no caminhar, senão quando eu to disser. Partiu ela, pois, e foi ao homem de Deus, ao monte Carmelo; e sucedeu que, vendo-a o homem de Deus de longe, disse a Geazi, seu servo: Eis aí a sunamita.Agora, pois, corre-lhe ao encontro e dize-lhe: Vai bem contigo? Vai bem com teu marido? Vai bem com teu filho? E ela disse: Vai bem. Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o Senhor me encobriu, e não me manifestou. E disse ela: Pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes? E ele disse a Geazi: Cinge os teus lombos, toma o meu bordão na tua mão, e vai; se encontrares alguém não o saúdes, e se alguém te saudar, não lhe respondas; e põe o meu bordão sobre o rosto do menino. Porém disse a mãe do menino: Vive o Senhor, e vive a tua alma, que não te hei de deixar. Então ele se levantou, e a seguiu. E Geazi passou adiante deles, e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não havia nele voz nem sentido; e voltou a encontrar-se com ele, e lhe trouxe aviso, dizendo: O menino não despertou. E, chegando Eliseu àquela casa, eis que o menino jazia morto sobre a sua cama. Então entrou ele, e fechou a porta sobre eles ambos, e orou ao Senhor.E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. Depois desceu, e andou naquela casa de uma parte para a outra, e tornou a subir, e se estendeu sobre ele, então o menino espirrou sete vezes, e abriu os olhos. Então chamou a Geazi, e disse: Chama esta sunamita. E chamou-a, e veio a ele. E disse ele: Toma o teu filho. E entrou ela, e se prostrou a seus pés, e se inclinou à terra; e tomou o seu filho e saiu. 2 Reis 4:8-37.
A sunamita era uma mulher generosa e de bom coração. Observadora, viu que Eliseu era um homem de Deus. Importou-se em fazer-lhe o bem, construindo para ele um pequeno quarto. E, por conta de suas boas obras, o profeta entendeu que deveria fazer alguma coisa por ela. Mas ela disse que não manifestou interesse por nada. E então, em conversa com seu servo Geazi, Eliseu descobriu que a sunamita não possuía filhos e profetizou que ela abraçaria um filho após o transcurso de um tempo determinado. E em resposta à promessa, aquela mulher creu na palavra do profeta, fazendo apenas uma observação: “não mintas à tua serva”. E assim, tudo aconteceu conforme dito por Eliseu. E o menino nasceu e foi crescendo, até que um dia, sentindo fortes de cabeça, veio a falecer no colo de sua mãe. E então a mulher manda que o menino seja colocado no quarto do profeta e parte ao encontro do mesmo com bastante tranquilidade e equilíbrio. Ela acreditava que as palavras que ela dissera a Eliseu e as que ele dissera para ela eram muito fortes e que aquela linda história não poderia se acabar daquele jeito.
A mulher sunamita que entrou na história de vida do profeta Eliseu, não discute a inexequibilidade da morte do filho profético que tivera. Ela discute as palavras ditas entre Eliseu e ela e vice-versa. Ela era uma mulher satisfeita com sua vida antes de ter o filho prometido. O profeta queria que ela fosse ainda mais feliz. E essa seria, de certa forma, a missão daquele menino. Mas sua vida fora muito curta. Mal chegara em sua vida e ela já o perdera para a morte. E isso, ao contrário de deixa-la mais feliz, apenas traria a tristeza para a sua vida que, até aquele menino chegar, não era triste. E assim, se o menino que era para fazê-la feliz, contrario senso, a fazia entristecer-se, ela entendia que, com isso, havia sido enganada pelo profeta, aso o menino continuasse morto. Mas ela acreditava que, de alguma forma, o profeta faria seu filho iria reviver. E por isso, em dois momentos dessa história ela demonstra piamente a sua fé na palavra dita. Primeiro, quando seu marido a questiona sobre sua viagem ao encontro do profeta e ela lhe diz que “tudo vai bem”. E segundo, quando Geazi, indo ao seu encontro por ordem de Eliseu, pergunta-lhe: Vai bem contigo? Vai bem com teu marido? Vai bem com teu filho? E ela disse: Vai bem.
O menino estava morto, mas ela acredita que tudo iria acabar bem e, por isso diz: tudo vai bem.
Eu gostaria de acreditar na vida eterna, da mesma forma com que a mulher sunamita da história do profeta Eliseu acreditava. Às vezes eu penso que nossa fé é muito frágil, principalmente quando nos desesperamos diante da morte. Jesus disse certa vez: Tende fé em Deus;Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis. Marcos 11:22-24.
É de enfatizar tais palavras. Se acreditarmos naquilo que dissermos, então se fará conforme a nossa palavra. Esse é o poder e a importância de refletirmos sobre o que vamos falar, porque as nossas palavras poderão se tornar realidades.
É importante que mantenhamos o controle de nossa mente e de nossa língua, para que não falemos o que não seja desejado por nós, o que não seja conveniente, o que não seja justo, o que não seja bom. Que nossa língua seja um canal de bênçãos para nós e para aqueles que nos cercam, Vejamos o que diz Tiago a respeito desse assunto...
Todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo. Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo. Vede também as naus que, sendo tão grandes, e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa. Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia. A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno. Porque toda a natureza, tanto de bestas feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana; Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. Tiago 3:2-10.
É costume ouvir as pessoas responderem à pergunta se “tudo vai bem?” dizendo que sim, que tudo vai bem, mas acrescentando: devemos dizer que está tudo bem para ver se melhora. Ora, meus queridos, não é isso! Não temos que mentir dizendo que está bem, quando sentimos que não está. A verdade deve ser dita sempre. O que precisamos é de fé na palavra que dissermos.
A sunamita cria que as palavras do profeta Eliseu eram palavras de vida, de alegria e de felicidade e é isso que ela cobra do profeta. Também devemos acreditar no poder das palavras que dissermos. Devo dizer que tudo vai bem, porque eu acredito que realmente tudo está encaminhado para acabar bem, mesmo que por um breve momento não pareça assim. Não devo duvidar. Devo crer, crer e crer. E a palavra se cumprirá. Jesus disse a um pai de família que tinha um filho endemoniado que lhe pedia para libertá-lo: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! Ajuda a minha incredulidade. Marcos 9:23-24.
É desse tipo de atitude que nós precisamos todos os dias. Oremos ao Senhor pedindo para nos ajudar em nossa incredulidade, para que possamos crer nas possibilidades reais de cada palavra pronunciada por nós. E assim, quando começarmos o dia, desejemos um bom dia às pessoas com  toda a nossa fé de que realmente será um bom dia. Abençoemos o nosso dia e o dia dos outros. Bom dia, meu amigo. Bom dia, irmão!
Comecemos o dia com alegria, com um sorriso e com muita fé no coração. Acreditemos que teremos um grande dia. Pensemos positivamente. Podemos estar sentindo mal, sentindo dores, sentindo cansaço, sentindo tristezas, nos sentindo ruins, mas, mesmo assim, devemos acreditar que isso poderá ser invertido. Então, ao invés de ficarmos lamentando, vamos nos esforçar para que essa inversão de prognósticos aconteça e tudo termine bem em nosso favor. Se for esse o nosso pensamento quando dissermos que tudo está bem, então não é mentira, mas uma possibilidade na qual devemos nos apegar. Diga palavras fortes do tipo: eu vou conseguir, nós vamos conseguir. Eu vou ficar curado. Eu vou ter sucesso. Meus negócios vão prosperar. Eu vou ser curado das minhas enfermidades. Hoje será o meu dia de vitória. Quanto mais eu me pronunciar afirmativamente bem, mais possibilidades eu tenho de crer que tudo acontecerá como estou dizendo.
A primeira pessoa a ser convencida da minha fé sou eu. Se nem eu mesmo acreditar em mim, então não sirvo para transmitir o bem a outras pessoas. Senhor! Ajuda a minha incredulidade. Marcos 9:23-24.
Eu sei que estou conclamando os meus queridos para uma tarefa muito grande, que é a de controlar as nossas línguas... Eu sei que eu ainda não consigo controlar a minha, mas eu quero controlar. E eu devo me esforçar nesse sentido e vou me esforçar. Eu vou conseguir. E vocês, irmãos? Façam suas escolhas, tomem suas decisões. Três coisas são necessárias que uma missão seja executada com sucesso: a primeira, eu preciso ter consciência do que eu quero; a segunda, eu preciso partir para a ação, me esforçando para tornar aquilo que eu quero, uma realidade; e, terceira: eu devo persistir, devo ter disciplina e não esmorecer nunca.
A vitória pode ser tardia, mas ela virá, se eu acreditar e lutar com fervor e firmeza para que ela venha. Essa é a mensagem. E a oração é: Senhor! Ajuda a minha incredulidade. Marcos 9:23-24.
Amém

domingo, 27 de maio de 2018

O atendimento ao idoso

O atendimento ao idoso
 
Izaias Resplandes de Sousa
A vida de um ser humano passa pelas fases de criança, adolescente, jovem, adulto e idoso. No Brasil, a criancice vai até os doze anos; a adolescência até os dezoito; o jovem é a pessoa com até vinte e nove anos; o adulto vai até os sessenta e o idoso é a pessoa com idade igual ou superior a 60 anos.
Maria Resplandes de Sousa (78)

O Estatuto do Idoso confere algumas vantagens para o idoso. São vários pontos. Quero destacar o que trata do atendimento ao idoso. A gente vê muitas pessoas que chegam a essa condição sendo colocadas por seus filhos em asilos ou casas semelhantes, às vezes são isolados na própria casa onde sempre viveu, ficando em situação de abandono por parte da família. É de ver ainda que alguns filhos ou cuidadores, costumam se apropriar dos benefícios de aposentadoria desses idosos para cuidar deles, mas não utilizam esses recursos para essa finalidade. E, por conta disso, referidos idosos são privados no atendimento de suas necessidades básicas.
O Estatuto do Idoso é a Lei n. 10.741, de 01 de outubro de 2003. Segundo ele, o idoso tem prioridade em ser atendido “por sua própria família, em detrimento do atendimento asilar, exceto dos que não a possuam ou careçam de condições de manutenção da própria sobrevivência”.
A lei estabelece que a prioridade é cuidar do idoso em casa. Essa é uma responsabilidade de sua própria família. Só é permitido levar para o asilo quando não há a família, ou quando essa não tem recursos suficientes para cuidar dela e de seu idoso.
A Bíblia também tem algumas referências que sustentam essa prioridade da lei brasileira.
Vejamos...
Dionizia Resplande de Carvalho (76)
Não repreendas asperamente o ancião, mas admoesta-o como a pai; aos moços como a irmãos; Às mulheres idosas, como a mães, às moças, como a irmãs, em toda a pureza. Honra as viúvas que verdadeiramente são viúvas. Mas, se alguma viúva tiver filhos, ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família, e a recompensar seus pais; porque isto é bom e agradável diante de Deus (4). Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus, e persevera de noite e de dia em rogos e orações; Mas a que vive em deleites, vivendo está morta. Manda, pois, estas coisas, para que elas sejam irrepreensíveis. Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel (8). Nunca seja inscrita viúva com menos de sessenta anos, e só a que tenha sido mulher de um só marido (9); Tendo testemunho de boas obras: Se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda a boa obra. Mas não admitas as viúvas mais novas, porque, quando se tornam levianas contra Cristo, querem casar-se; Tendo já a sua condenação por haverem aniquilado a primeira fé. E, além disto, aprendem também a andar ociosas de casa em casa; e não só ociosas, mas também paroleiras e curiosas, falando o que não convém. Quero, pois, que as que são moças se casem, gerem filhos, governem a casa, e não dêem ocasião ao adversário de maldizer; Porque já algumas se desviaram, indo após Satanás. Se algum crente ou alguma crente tem viúvas, socorra-as, e não se sobrecarregue a igreja, para que se possam sustentar as que deveras são viúvas. 1 Timóteo 5:1-16

Pastor Sebastião dos Santos
O texto fala dos idosos e dentre eles, faz alguns destaques para as viúvas idosas. A idade de 60 anos é posta como um marco (9). O cuidado com os seus, seus pais, suas viúvas e sua família é outro marco (4, 8).
Há muitas pessoas que se aposentam cedo, por conta de contribuição. É possível uma professora particular se aposentar com 46 anos de idade, por exemplo. E, por conta dessa aposentadoria, entendem que já possuem os privilégios do idoso. Querem cortar filas, entrando na frente dos outros; querem isenção de IPTU (tem muitos municípios que concedem esse benefício, se verificadas determinadas condições); querem viajar de graça nos ônibus, querem ocupar os assentos preferenciais e etc. Não é assim, nem a Lei e nem os princípios bíblicos.
A lei se refere a idosos e não a aposentados. idosos são pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.
A lei diz que o exercício da prioridade no atendimento ao idoso cabe à família e não ao Estado e à sociedade em geral.
Por outro lado, a Bíblia fala naquelas mulheres que são verdadeiramente viúvas. E por paralelismo, que é um critério de interpretação legal, podemos entender que há também aqueles que são verdadeiramente idosos. Como assim?
Ora, diz a Bíblia que é verdadeiramente viúva, a mulher que não tem condições de cuidar de si mesma; e que não tem família que possa cuidar dela; que não tem filhos e netos (4). Não é porque a pessoa já tem 60 anos que tem de ser sustentada pelo Estado ou pela Igreja. É de se observar com rigor o princípio da necessidade.
Missionário Isaias da Silva Almeida
Vejamos… Eu agora sou idoso. Então devo me constituir um peso social? Não! Primeiro, pela Lei, eu posso trabalhar até os setenta anos, se tiver condições. Se posso trabalhar para os outros, posso cuidar de mim também; não preciso dos privilégios. Segundo, se não posso cuidar de mim, mas tenho família, filhos e netos que têm condições de fazê-lo, não tenho o direito de sobrecarregar o Estado e a Sociedade.
Eu vejo irmãos fortes e saudáveis cortando filas, reclamando para si os direitos de idoso, impondo-se sobre os demais só porque já têm 60 anos. Deixam irmãos que, apesar de mais jovens, às vezes são doentes, ou fracos e com menores condições físicas esperando chegar a sua vez, passando à frente deles só porque são idosos, o que é um absurdo!
Nós temos um princípio bíblico muito interessante. É o princípio da situação oposta. Quem quer ser o primeiro, aprenda a ser o último; quem quer ser servido, aprenda a servir. Vamos vê-lo…
Pastor Antônio Júlio Pinto e Missionário Isaias da Silva Almeida
O maior dentre vós será vosso servo. E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. Mateus 23:11,12.
E eis que derradeiros há que serão os primeiros; e primeiros há que serão os derradeiros. Lucas 13:30.
E disse aos convidados uma parábola, reparando como escolhiam os primeiros assentos, dizendo-lhes: Quando por alguém fores convidado às bodas, não te assentes no primeiro lugar; não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu; E, vindo o que te convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então, com vergonha, tenhas de tomar o derradeiro lugar. Mas, quando fores convidado, vai, e assenta-te no derradeiro lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, sobe mais para cima. Então terás honra diante dos que estiverem contigo à mesa. Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado. Lucas 14:7-11.
É de ver que a Bíblia também critica as pessoas que buscam os primeiros lugares…
Missionário Ademar Soares de Lima
Queridos irmãos. Devemos aprender que estamos no mundo para servir aos demais e não para sermos servidos. Jesus deixou isso tão claro, tomando Ele como exemplo para nós. Assim diz a Palavra:
Qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos. Marcos 10:43-45.
Pastor Ivon Pereira da Silva
Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes. João 13:14-17.
Devemos resistir e vencer esse desejo de ser o primeiro a ser servido, de ter algum direito a mais em relação aos demais e, pelo contrário, devemos tentar a todo custo desenvolver o dom de servir, de ficar satisfeito com os últimos lugares, de saber esperar pelos demais.
Pr Sebastião dos Santos, Prof. Izaias Resplandes e Pr Nanao Yamamoto
É claro que não devemos recusar ser honrados, quando as pessoas quiserem honrar-nos. Por exemplo, se o responsável pela organização de um evento determina que se sirvam primeiro aos idosos, mesmo que eles estejam fortes e possam esperar, vamos respeitar a vontade. O evento é dele e, nesse caso, ele dita as regras. O que questionamos não é o ato de ser honrado ou de receber honrarias, mas o de exigir tais privilégios. Se eu, apesar de ser idoso, sou forte e posso esperar, não é certo que eu exija o privilégio só porque a lei diz que o idoso deve ter preferência. Acima da lei dos homens, está a lei de Deus. E a lei de Deus não nos manda buscar privilégios para nós. Ela nos orienta a buscar vantagens para os outros, a trabalhar em favor dos demais e não apenas em benefício próprio. Em relação a nós mesmos, assim diz a Palavra:
Pastores Sebastião dos Santos e Délcio Vesenick
Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. 1 Timóteo 6:7-9.
Quem muito quer, pode acabar ficando sem nada. Quem quer muita honra, pode acabar sendo humilhado. Podemos e devemos buscar privilégios para outras pessoas que a gente vê que precisam deles, independente da idade. E se realmente são idosos e precisam, sim, devemos virar um leão na defesa do direito dessas pessoas. Mas nós, pessoalmente, se não necessitamos, contentamos em esperar a nossa vez, mesmo que sejamos idosos. Pode ser que alguém pense o contrário, mas é possível que estes que estão atropelando os verdadeiros necessitados para buscar privilégios para si, sem necessitar de verdade, venham ser deixados de fora no reino, porque não possuem o espírito de Cristo, que é de servir, de dar a vida, de se privar de seus direitos e de sempre atuar em favor de seus amigos. É assim a Palavra de Deus.
Diácono Nelson da Silva Queiroz, Pr. Ivon Pereira e Honório Luiz da Silva Neto
Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Romanos 8:9.
É de ver que não é porque eu prego a Palavra que eu já tenha uma vaga certa no Céu. Eu não tenho apenas que pregar a Palavra de Deus; eu tenho que vivê-la de verdade. Quantos vivem apenas da aparência cristã, mas não são verdadeiros cristãos! E por isso ficarão de fora do reino dos céus. Assim Jesus disse sobre isso:
Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Mateus 7:20-23.
Que não sejamos apenas teóricos, mas que sejamos, dia a dia, praticantes da Palavra de Deus. E quanto a ser salvo, isso não depende de nós. A salvação é um dom de Deus. Devemos viver para agradar a Deus, fazendo o que Ele determina em sua Palavra. Na verdade, quanto mais pensarmos e fazermos pelos outros, mas estaremos agindo no Espírito de Cristo, o que é agradável a Deus. Esse é o ensino. Que Deus nos abençoe e nos ajude a torná-lo uma realidade em nossas vidas. Amém!